28.12.09

Contos pra te contar. [4]


A menina que perdeu o Natal.

Aquele foi o primeiro ano que eu o esperei. Lembro que ficava deitada na cama, imaginando se ia demorar muito para chegar. Mamãe achava aquilo tudo muito engraçado e diante da minha insistência, ela sempre me dizia para ter paciência. Só que isso era algo que eu tinha pouco, afinal, o que ela podia esperar de uma garota de seis anos?
Quando eu estava sozinha, pensava nisso o tempo inteiro. Forçava minha memória para tentar encontrar lembranças anteriores sobre esse dia, mas dentro da minha cabeça tudo não passava de borrões. Percebi afinal, que eu não tinha lembranças. Precisava construí-las.

Por isso, às vezes, eu pedia para mamãe me contar histórias. E ela falava sobre a beleza das luzes que piscam ou contava sobre o velhinho barbudo e seu veículo voador, entre muitas outras fábulas que me encantavam. E eu ficava sonhando com aquilo por dias seguidos.

Imaginava em minha cabeça como seria quando ele enfim chegasse. Imaginava tanto, que um dia, eu planejei tudo. E acabei criando minhas primeiras lembranças do Natal. Lembranças trazidas diretamente do futuro.

“Eu acordaria e saberia que ele havia chegado. Feliz e sorridente eu abraçaria minha mãe e correria para a sala. Então, eu veria aquela árvore linda e brilhante. E ficaria na ponta dos pés para conseguir colocar a estrela no topo. Mamãe riria baixinho de mim e ajudaria a me equilibrar. Depois eu sentaria embaixo da árvore com minha mãe e eu entregaria o cartão que fiz especialmente para dar a ela no Natal”.

Então, um dia, ele enfim chegou. Mas, eu não corri para abraçar minha mãe. Não vi a árvore linda e brilhante na sala. Não pude colocar aquela estrela no topo. Nem entregar o cartão que eu fiz. Eu sequer acordei para recepcioná-lo. Eu perdi o Natal. E só soube disso, porque de onde eu estava pude ver minha mãe chorar a minha ausência naquela data tão esperada por mim.


P.S. Um conto de Natal, porque eu adoro o Natal, oras! Brincadeiras a parte, espero que gostem. E não deixem de me contar, como foi o Natal de vocês, tá?


Beijos! =*

4 comentários:

Marco Aurelio disse...

que coisa não!

Minha família é basicamente toda testemunha de jeová, sendo assim não comemoramos o Natal. Eu apesar de nao ser, também nao comemoro. Mas gosto de ver as pessoas felizes nesse momento, o simples fato de desejar ao outro um "Feliz Natal" é capaz de trazer boas energias, principalmente em uma corrente quando acontece nesse período.

Para nao perder o costume, e já que vou ficar off por alguns dias; Feliz 2010! que ele seja cheio de paz, saúde, sabedoria e luz para o caminho de cada um de nós.

Sil disse...

Um conto triste né flor...

=\

ah... meu Natal foi normal, muita comida e só...

Bjs

Felipe Attie disse...

Por que será que publicitário tem mania de ser escritor e vice-versa? Falo por experiência própria. Por ser do mesmo saco. Você pelo menos é redatora?

Beijos & Até...

Petit Gabi disse...

Felipe,

Eu, pelo menos sou redatora. =)

Obrigada pela visita!

Beijo!