25.8.09

Não mate o adolescente que vive em você.

Só pra começar, devo dizer que esse texto será mais uma confissão, do que exatamente uma discussão sobre determinado assunto.

Sempre fui muito romântica e quando adolescente isso foi ainda mais forte. Assistia todas as comédias românticas possíveis, escrevia diários, fantasiava amores, sonhava acordada com situações que nunca cheguei a vivenciar – não exatamente daquela maneira, é claro. E acho que foi mais ou menos aos 18 anos (muito normal, diga-se de passagem) que eu deixei morrer uma parte dessas de mim. Para ser mais específica, foi depois de receber constantes negativas a esse respeito. Alguém me disse que eu tinha uma visão romântica demais da vida e sofria do “Complexo de Cinderela”. E era verdade.

Depois disso, passei a ser mais realista. As experiências que se seguiram ficaram cada vez mais longe da fantasia romântica adolescente. Sofri menos por amor. E as relações foram muito mais pautadas pela razão do que pela emoção (nem todas, claro). Isso foi bom? Sim, por um lado, foi bom. Quando você é mais racional, digamos que tem mais controle sobre o que sente, se entrega menos e teoricamente, se machuca menos quando alguém não corresponde às suas expectativas. Em contrapartida, ficamos mais secos, desconfiados, desinteressados e até “antirromânticos”. Na verdade, o ideal mesmo, é encontrar um meio termo. Que é exatamente o que ando tentando fazer.

Bom, mas como eu disse no começo, esse texto é de fato uma confissão. E o que me levou a escrevê-lo foi o quanto tenho me sentido extremamente adolescente depois de assistir Crepúsculo(o primeiro de quatro livros que contam um amor entre uma humana e um vampiro que virou filme em 2008). Sei que grande parte dos meus amigos me chamarão de tola, vão rir e dizer que a irmã, prima, vizinha de 15 anos que gostam disso, etc. Mas, preciso confessar. Estou extremamente viciada nessa historinha batida de amor. E olha que é com um tremendo atraso, porque isso já é febre entre os adolescentes há um bom tempo. Detalhe, não satisfeita com o filme, vou ler o livro no qual foi baseado. E se bem me conheço, vou querer ler todos os outros também. (risos)

Ah, só mais uma coisinha. Mais uma confissão. Além de assistir o filme, pedir o livro emprestado, baixar trilha sonora e pesquisar horrores a respeito na internet, ainda tive a pachorra de comprar uma Capricho. É, Capricho! Fazia muito tempo que eu nem olhava para ela na banca de revistas. Mas, posso ser sincera? Gostei disso. Gostei de me sentir assim de novo. Me empolgar com algo, mesmo que tolo. E foi muito bom ressuscitar a adolescente assassinada por mim aos 18 anos.

P.S. Texto postado ao som da trilha sonora de Crepúsculo. (Pode rir. Eu deixo!)

Para quem "ainda" não viu o filme, aí está o trailer.

19 comentários:

rodrigo furquim disse...

Ser feliz é encher seu pote de coisas boas...rs

Gabriela Silva disse...

Não tem coisa melhor, meu caro! =)
P.S. Achei que você seria o primeiro a rir de mim... (risos)

Beijo!

Silvia Gonçalves disse...

Oh doida...
Eu te entendo viu...
Foi muito parecido com a minha história...
A única diferença é que foi uma pessoa em 2007 que eu redescobri o romantismo que havia no mundo e até mesmo em mim...

Ainda não assisti o filme.. mas estou querendo de monte...

Bjos

Gabriela Silva disse...

Não importa como, o importante é encher o pote de coisas felizes, como disse Rodrigo.
Ah Silvia! Assiste, hein! rsrs

Beijão!

( aperte o alt ) disse...

Que delícia de texto, Gabi.
Confesso (já que é momento de confissões) que nunca cheguei a abandonar vários dos meus gostos e hábitos adolescentes. Felizmente, a publicidade comporta profissionais assim...rs

Então, não só não vou deixar o adolescente em mim morrer como também nunca deixarei de sê-lo!

Beijão.

Annie Manuela disse...

hauhauhauhau
Realmente às vezes da saudade de ser adolescente de novo...
rsrs
Comigo foi totalmente o contrário, nunca fui uma adolescente tão romântica assim, talvez tenha sido até os 11 anos, mas depois do meu 1namorado (que foi uma decepção), Vivia só de curtição e era muito malvada com os sentimentos dos meninos. E essa fase só passou quando tinha uns 17 anos, ai voltei a ser boazinha, rsrsrs. E continuo sendo até hoje. hauhauhau

Ps. Adorei o novo layout.

Gabriela Silva disse...

Renato! Coisa boa, né? Eu tava sentindo mesmo falta dessa menina em mim... rsrs
Que bom que você nunca tenha matado o seu. hehehe

Beijos!

Gabriela Silva disse...

Annie, já tentei essa fase "malvada", mas não deu muito certo! rs
Que bom que gostou do novo layout... Aos poucos vou melhorando o blog!
Beijão e obrigada pela visita!

Adiel Costa disse...

oi gabiiii

adorei esse post...

falando sério, eu naum vou zuar vc (deveria uahuhauhauhua)

mas acho que eh normal esse pensamento.

sobre o lance de "cinderela", acho que eh uma espécie de sonho, e querendo ou naum todo mundo tem sonhos, seja com um amor, seja um carro novo, trabalho, faculdade...
e na minha opnião, vale a pena.

soh pq temos algumas(muitas) decepções, não significa que devemos desistir.

eu mesmo assistir o filme desses vampiros(por causa dos vampiros, pensei que era um "puta terror alucinante" auhsudhsuahd), e no final falei pra mim mesmo........ "eta filme meloso de VIADO" uashudhsuahdusah.

em outras ocasioes estaria dizendo, "caraca que massa", "vamos assistir o 2 no cinema ta amor?"....... entendeu o trocadilho neh? uhsaudhusahdusha

eh assim mesmo, sonhos, pensamentos, atitudes, desejos...
estado de espírito!

bjo lindah,,, desculpa a demora de passar aki ta..

=*

Ricardo Nascimento: disse...

Que maravilha de texto. Parabens Gabi.
Este texto foi um desabafo emocionante de uma menina-mulher. Sempre te falei que você tem o profissionalismo, a seriedade e a responsabilidade de uma mulher, mas sem perder o carisma e o jeitinho doce de adolescente.
Concordo que tem que viver o seu lado adolescente sim e esse lado deve existir para sempre. Somente este lado é capaz de acender a chama da vida, o resto é apenas sobrevivência, tática de guerrilha.
Confesso que dentre meus estilos de filme, comédia românica é um dos meus preferidos e se um dia vir até meu canto verás que tenho uma infinidade desse tipo de filme em minha pequena videoteca de mais de 5.000 longas. Afinal, além de publicitário, sou produtor e diretor de comerciais.
Mas o que quero dizer é para nunca perder o seu jeito adolescente.
Você me conhece e sabe do meu estilo adolescente e brincalhão de ser, que muitas vezes me tacharam como "criança". O interessante é que meu jeito "criança" conseguiu ganhar mais prêmios publicitários e devolver a paz em muitas empresas do que muito marmanjo engravatado conseguiu.

Gabriela Silva disse...

Ahhh Adiel!!! Sabia que vc tava muito afim de me zuar... hehehe
"eta filme meloso de VIADO" kkk

Ric...

Obrigada pelas belas palavras! Vc, como sempre, muito gentil.

Grande abraço!!!

Felipe MK disse...

Olá Gabriela! Prazer entrar em seu blog pela primeira vez... Bom, a primeira impressão foi excelente com esta imagem de topo linda, muito legal mesmo! Criatividade pura... Ao ler seu último post, tive a certeza de que virei aqui outras vezes...

Estou muito curioso para assistir esse filme mesmo! Não vejo a hora, mas assumi um emprego novo e fico naquela correria que nem dá tempo mais de fazer o que gosto...

Aos 22 anos, te entendo perfeitamente e também sou assassino... Tenho de me policiar para ser mais romântico com minha amada namorada, mas as vezes deixo a idade e a caduquice reinar em alguma situação e isso é péssimo!

Mas, para ser curto (já não sou mais, esse comentário tah enorme!), parabéns pelo blog!

Que Deus abençoe sua vida! Curta esses vislumbres de adolescência que saíram de você! Vale a pena e não vão te fazer nenhum mal... falo por experiência pois estou colecionando figurinhas do Brasileirão junto com meu irmão de 9 anos, o que é quase a mesma coisa...hehehe...

Beijos! Fica o convite para me visitar quando puder!!!

Silvia Gonçalves disse...

Tem selinho(s) pra você no meu blog.. pega lá...

Bjos

Thomaz Ribeiro disse...

De fato é importante termos este lado mais imaturo em nós. Seria mais adequada uma saida aristotélica, como você sugeriu, um meio termo. O adolescente que habitava em mim morreu bem antes do auge da aolescência. Sempre me disseram que já nasci velho. Parabéns por seu resgate.
P.S - Eu não falaria nada, mas já que você deixou. Crepúsculo, faça-me o favor!

Eloisa disse...

Acredito que ter uma visao romantica da vida faz bem. Quem ama sempre constroi um mundo melhor, mais lindo e leve.

Gabriela Silva disse...

Felipe e Eloisa,

Obrigada pela visita ao blog! Voltem sempre...

Thomaz,

"P.S - Eu não falaria nada, mas já que você deixou. Crepúsculo, faça-me o favor!"

Ahahahah eu já sabia!

Beijos

Inagaki disse...

Pois é, Gabi. Te confesso que comédias românticas muitas vezes se assemelham a ficções científicas pra mim. :)

Jéssica Trabuco disse...

Sou meio que suspeita afalar sobre o assunto.. sou exatamente a adolescente que acredita num mundo colorido!
rss..
Sabe, eu gosto de ser assim... vejo nas coisas simples motivos de felicidade, e transformo tudo em magia!
Mas sou bem racional tbm... mas ainda assim sou muito besta!
Não li crepusculo.. nem assiti filmee.. mas tooooodo mundo ama isso neh? o.O
Quanto a vc.. é sempre relembrar bons momentos da nossa vida neh? \o/

Silvia Gonçalves disse...

Oi Gabi,

Na verdade o selinho é uma forma de você presentear os blogs que curte... para incentivo de continuar e também como indicação sua...

Vc pega o selinho e o envia para quem quiser...

Tendeu??

;)

Bjos