24.8.10

Mau humor necessário.

Tem dias que a gente fica pra baixo, mal humorado e só quer ficar quieto sem que ninguém encha o saco. Esses são dias mais comuns do que imaginamos. Afinal, todos têm seus “bad days”.

Até aí, tudo bem. Você acordou com o pé esquerdo e tá super afim de maldizer a vida, seu emprego, amigos, o mundo em geral. Obviamente, existe a consciência de que isso não será recorrente. É apenas um diazinho osso duro de roer. Não há exatamente motivo para preocupações, certo?

Daí, chega aquela pessoa lazarenta que usa camisetas do tipo “Sou 100% FELIZ”. E ela vem com aquele papinho manjado do “pensamento positivo que opera milagres”. Aí, amigo, senta que lá vem conversa.

“Blá, blá, blá você atrai o que pensa”. “Blá, blá, blá, mentalize somente coisas boas”. “Blá, blá, blá sorria sempre, a vida é bela e o sol brilha todos os dias”. VTNC.

Como boa sagitariana que sou (sim, acredito nas descrições dos signos =o), costumo ser muito otimista. Mas, acredito que para algo dar certo, depende somente de mim. Por isso, desde quando sou obrigada a pensar e a ser positivamente feliz o tempo inteiro? Quer dizer, um dia de mau humor vai interferir na rotação do universo e detonar todo o resto? Não e não.

Ser positivo é buscar coisas e pessoas bacanas que somam em nossa vida. Sorrir quando existe disposição interna para isso. Trabalhar duro para conseguir o que se almeja. Ser honesto e fiel com seus próprios princípios. Respeitar seus sentimentos e expressá-los como te apetece. Isso é ser positivo de verdade. E não um falso "positivismo" sem bases ou estruturas. Guardando pequenos rancores, com medo de as pessoas pensarem que ela seja alguém extremamente negativo por mostrá-los.

Se forçar a nunca ficar de baixo astral ou não ter pensamentos ruins não irá te transformar em uma pessoa mais feliz, aceita ou bem-sucedida. No máximo, te obrigará a pagar rios de dinheiro para um terapeuta que te ajudará a externar todas as frustrações que você guardou desde que leu O Segredo.

E aí, você tem vivido de boa seus momentos de mau humor ou anda reprimindo tudo?
Beijos e até a próxima.

Revisão: Felipe Rui.

8 comentários:

Thomaz Ribeiro disse...

Numa perspectiva budista, o sofrimento é uma criação de nosso engenho. E é mesmo. Então que tentemos viver da melhor maneira possível.

Gabriela Silva disse...

Concordo, Thomaz. Só que não custa se permitir um pouquinho de mau humor sem culpa de vez em quando, né?
Obrigada pela visita!

Coisas da Vida disse...

Alô Gabi!!!

Nem queiras saber o que me ri com o que escreveste!!!
Mas é que é a pura da verdade!
Nós temos demsiados sentimentos e emoções que fazem parte da nossa natureza e evolução humana. Somos fruto de todo o género de relações e comportamntos em grupo desde os primeiros momentos da vida da espécie humana!
Ninguem se chateia porque decidiu "ok, agora aptece-me estar chateado e irritado com o mundo!". Quando estamos assim é esperar que passe e aí sim, cultivar os nossos melhores pensamentos e mandar as nossas melhores energias para o mundo!
Ah, também tenho o Segredo mas nunca o li :D:D:D mas, está ali na prateleira à espera da minha crítica.
Mas adorei a do psicoterapeuta!!! Está lindo!!!!!! Muito bom!!!!
Sabes que mais?
Vive!!! ;D

Verônica disse...

Olá Gabi!
Adorei sua forma leve de escrever, mesmo falando do seu mau-humor!
Estou escrevendo um blog sobre minha saída do limbo emocional!
Passe por lá: http://querocorrercomoslobos.blogspot.com
Beijos!

Petit Gabi disse...

Ana,

Sério, não leia esse O Segredo. É arrependimento garantido! hehehe

Beijos!

Verônica,

Obrigada pela visita e elogios. Espero que volte sempre, tá?

Beijo!

Grace Kelly Cano disse...

M-U-I-T-O B-O-M!!!
É exatamente isso!
Se usar as feramentas do Segredo fosse resolver nossos problemas, pra quê trabalhar então?
Ouse não ser responsável e nem batalhar todos os dias pra garantir seus caprichos e necessidades que quero ver SORTE alguma ajudar...rs...Não há SEGREDO que resolva!
Acho que estar de bem com a vida é fundamental, mas tem dia que é só nosso e isso também tem que ser respeitado né!

Adorei!

Bjokas!

Petit Gabi disse...

Exatamente, Garce. Respeitar nossos dias de mau humor e ter esse mesmo respeito pelos dias ruins das pessoas, nos pouparia de constragimentos e chateações desnecessárias.
O Segredo é a coisa mais fajuta que já li na vida. Concordo que positivismo é saúde, mas depender só disso, não dá.

Beijos e obrigada pela visita!

Matheus Farizatto disse...

ADOREI O "VTNC"!!!

São raros, mas eu curto DEMAIS os meus "bad days". Fico um PORRE! I-N-S-U-P-O-R-T-Á-V-E-L... sobra coice pra todo mundo e quanto mais eu curto a minha "chatice", mas rápido ela passa!

Beijo, Gabi!