18.5.09

Cadê o doce que estava aqui?

Hoje em dia parece que ser “mauzinho” está em voga. As pessoas não estão mais interessadas em fazer pequenas gentilezas, em demonstrações de afeto ou afins. E quando se tratam de relacionamentos afetivos homem/mulher é que a coisa anda ficando pior. 

Se você tenta demonstrar doçura percebe as pessoas assustadas ao seu redor, porque a maioria delas deve pensar “Ei, o que essa garota está querendo de mim?”. O que tenho notado é que não há mais espaço para o “dar desinteressado”, na maioria dos casos existe uma necessidade intrínseca de troca.

As pessoas não perdem mais seu tempo em pequenas conquistas, ou pelo menos a maioria delas. Tudo tem que acontecer aqui e agora e não há mais paciência para construir relacionamentos dia após dia. Quando você tenta criar vínculos, percebe-se de repente sozinha porque aquela pessoa que estava ali, tão disposta a te conhecer já está se “vinculando” a uma nova paixão/amizade instantânea.


É claro que não podemos generalizar. Tem por aí muita gente disposta a sentar para uma boa conversa, sem segundas ou terceiras intenções. Mas, quase sempre, o que tenho visto são pessoas ávidas pela novidade, pessoas que não se interessam pelo gasto, pelo batido, pelo usado, pelo consistente.


Cadê as pessoas boas? Cadê aquele cara que se comovia quando uma garota demonstrava algum sentimento por ele? Cadê aquela garota que ficava derretida ao ouvir um cara a chamando de linda? Cadê a valorização da honestidade, da verdade, do amor? Tudo isso caiu na vulgaridade. Legal agora é o cara que te trata mal, porque se ele te tratar bem demais, enjoa. Bacana agora é a garota que gosta de você, mas fica com outro só pra que você sinta ciúmes. O jóia agora é fingir que não há sentimento para que ninguém saia assustado por aí.


Cadê o doce que estava aqui? Cadê a disposição das pessoas em demonstrar o que tem de melhor? Por que o que interessa mais é que você se mostre desinteressado? Eu, particularmente ainda não me encaixo nessa nova realidade. E pra falar a verdade, nem quero. Prefiro continuar sendo a bobinha, quero dizer, a boazinha.


Quero mais é conhecer, me envolver, fazer parte da histórias das pessoas e permitir que elas façam parte da minha. Talvez elas passem rapidamente ou podem durar bastante tempo, mas o tempo é uma constante que não me interessa muito. O que importa realmente é mostrar quem sou para quem eu quero, sem medos, sustos ou uma personalidade espontaneamente forjada.

3 comentários:

Caio disse...

Meu coração está em êxtase!!! estou apaixonado pelo seu texto!! Menina se tudo isso está realmente dentro de vc!!! Bingo!!

dcamarneiro disse...

Hunfff...cadê broto?!?!Fico me perguntando isso inúmeras vezes, mas parece que tudo isso se foi...
O segredo é não procurar...o que tem que ser será!!!
Nada nessa vida acontece por acaso...pense nisso!!
bjuu

Carol disse...

Nossa adorei o texto..
simplesmente belo!
pois estamos numa sociedade em que os valores sao bem diferentes da simplicidade da vida.
bju